Bibliotecas do Agrupamento

Bibliotecas do Agrupamento

quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

Autor do mês de dezembro - José Luís Peixoto

Entre o infinito do céu e o infinito da terra, existe o teu infinito, igualmente desmedido e ilimitado. Mãe, o tempo não é capaz de conter-te.
in "O teu ventre"



Nasceu em Galveias, Ponte de Sor, a 4 de setembro de 1974 é um narrador, poeta e dramaturgo.Com apenas 27 anos, José Luís Peixoto foi o mais jovem vencedor de sempre do Prémio Literário José Saramago. Desde esse reconhecimento, a sua obra tem recebido amplo destaque nacional e internacional. Os seus livros estão traduzidos e publicados em 26 idiomas. “ Morreste-me” foi escolhido como um dos 10 livros da primeira década do século XXI pela “revista Visão”. “Nenhum Olhar” foi escolhido como um dos livros da década pelo “ jornal Expresso” e foi considerado pelo “Financial Times” dos melhores romances publicados em Inglaterra em 2007, tendo também sido incluído no programa “Discover Great New Writers” das livrarias americanas “Barnes & Noble”. O romance “Uma Casa na Escuridão” foi incluído na edição europeia de "1001 Livros para Ler Antes de Morrer” - Um guia cronológico dos mais importantes romances de todos os tempos. A sua obra tem sido adaptada para espetáculos e obras artísticas de diversos géneros. José Luís Peixoto tem sido colunista de vários órgãos da imprensa portuguesa, como é o caso do “Jornal de Letras” ou das revistas” Visão”, “GQ”, ” Time Out”, ”Notícias Magazine”, “UP”, entre outras.

Prémios
Prémio José Saramago, 2001Prémio Cálamo Outra Mirada, 2007
Prémio Libro d' Europa, 2013
Oceanos - Prémio de Literatura em Língua Portuguesa, 2016
Obras Publicada
Ficção
2000 - Morreste-me
2000 - Nenhum Olhar
2002 - Uma Casa na Escuridão
2003 - Antídoto
2006 - Cemitério de Pianos
2007 - Cal
Poesia
2001 - A Criança em Ruínas
2002 - A Casa, a Escuridão
2008 - Gaveta de papéis
Literatura de Viagem
2012 - Dentro do Segredo - Uma viagem na Coreia do Norte
2017 - O Caminho Imperfeito Literatura Infanto-Juvenil
2012 - A Mãe que Chovia
2016 - Todos os Escritores do Mundo Têm a Cabeça Cheia de Piolhos. (Fonte:Wikipédia)



Sem comentários:

Enviar um comentário